Nuno Félix da Costa, Relatório sobre o que acontece, Portugal

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Relatório sobre o que acontece

crónicas sobre o que acontece ou o que parece acontecer

Relatório sobre o que acontece

crónicas sobre o que acontece ou o que parece acontecer

MODOS DA AUTOCOMISERAÇÃO  

A autocomiseração é uma das caraterísticas humanas mais abjetas – e inédita na escala do vivo. Mesmo cães que contaminados pela nossa proximidade, desenvolveram uma afetividade paralela ou complementar ou subsidiária da humana, se o meio os frustra, se o líder os humilha, se o parceiro lhes falta, se a cria os abandona, não se permitem perder tempo em reflexões, antes passam à pieguice com apelos mais ou menos explícitos a um pouco de grooming; se algo os ameaça, exercem a sua cobardia de circunstância, enquanto outros se especializaram na rápida fuga. Em qualquer caso, à filogenia sub-humana parece inútil produzir apreciações cósmicas lamurientas como se estivessem a ver as coisas com isenção. Só os humanos são capazes de afirmar viverem em condições de grande adversidade, «a vida humana exposta, desde tempos imemoráveis, a um excesso de dureza e de crueldades». A vida sub-humana não elabora sobre o meio em que vive. A vida adapta-se; satisfaz-se mais ou menos com o que lhe é oferecido ou procura solucionar as suas carências, mas não faz comentários sobre o que lhe falta à felicidade. Neste sentido, Freud, o grande pai da racionalidade, foi um irracionalista gentil que, com o seu princípio da realidade, aparece como um radical mistificador ao serviço de uma hermenêutica semelhante à filologia judaica, sobretudo tentando salvar a alma de uma semelhança divina quase insustentável. Assim, é a sua linguagem clínica que revela a pior utilização da consciência, o pior usufruto da imaginação, a mais repelente panaceia para a amoralidade do eu, como se houvesse um grau zero da bondade donde todos os humanos despontam para, desse estado, passarem a uma inclemente vida adulta, pervertida pela necessidade de mentir, de roubar, de trair, de estuprar em que nos autocomiseramos com lamentável despudor para desculpar batotas e fracassos. Temos de sair de cada derrota criticando as regras do jogo, o clima severo, as circunstâncias astrais desfavoráveis. Até ao procriar que é o princípio fundador do modo nacional do altruísmo normalizador, cada progenitor deve, simultaneamente, encarnar a atitude budista e franciscana e a da Madalena amando desenfreadamente e a da Madre Teresa, amando abnegadamente. Sem dúvida, que se o ingénuo Caeiro, não estivesse tão amarrado a Pessoa, seria o paradigma do cidadão liberto da sua autocomiseração. No Cartaxo, não desenvolveu uma fama de grandeza nem de especial mérito social, era um excêntrico que não pedia desculpa por um encontrão inadvertido, que era uma simples coincidência de trajetórias, nem dizia bom dia porque não se permitia ter desejos. Ou talvez o sensacionismo fosse uma subtil estratégia de autocomiseração ao dispensar a autocomiseração.