Nuno Félix da Costa, Relatório sobre o que acontece, Portugal

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Relatório sobre o que acontece

crónicas sobre o que acontece ou o que parece acontecer

Relatório sobre o que acontece

crónicas sobre o que acontece ou o que parece acontecer

PARA UMA TEORIA DA NOTORIEDADE  

Funções importantes são as que fazem as pessoas falar. As funções que fazem as pessoas falar criam a importância das pessoas que têm essas funções. Posicionam-se assertivamente em tudo o que é fácil ter uma opinião: as cores e as roupas que escolhem de acordo com uma teoria matemática do vestuário, têm ideias firmes sobre o romance que estão a ler, frequentam os restaurantes onde podem encontrar outras pessoas importantes, tendem a selecionar os seus parceiros sexuais ou os amigos com quem bebem uns copos também entre as pessoas importantes. As pessoas importantes reconhecem a importância umas das outras o que confirma a importância recíproca. Evitam cuidadosamente os temas polémicos e acham precipitado fazer declarações futebolísticas antes do fim do campeonato. Mesmo das calinadas dos políticos só lhes interessam as que se relacionam com as respetivas incursões sexuais que tendem a achar néscias e corruptas formas de assédio, mas sabem quanto a importância cria a ocasião do assédio. Pode-se dizer que a importância visa alguma forma de vantagem sexual (ou todas), seja ter acesso a parceiros importantes, seja poder escolher entre uma multidão de pessoas não importantes, seja, simplesmente, dominar como prática sexual desviada. Portanto, as pessoas importantes não estão qualificadas para funções importantes ou ainda que o tenham estado, quando se deixam dominar pelas vantagens da importância e agem levando em conta o que os outros dirão do que elas acham por bem fazer, já não estão e exercer bem as suas funções. Para elas deverão ser criadas funções desimportantes que pareçam importantes. Talvez as pessoas prefiram falar de funções desimportantes que se tornam, por consenso, muito faladas por serem exercidas por pessoas que parecem importantes.